FedEx Newsroom

FedEx Newsroom

FedEx ajuda artefatos incas insubstituíveis a chegarem até seu novo lar em museu Peruano

January 7, 2013

São Paulo, 7 de janeiro de 2013 – Conhecida por sua reputação de entregar pedaços da História em segurança, a FedEx Express, subsidiária da FedEx Corp. (NYSE: FDX), provou novamente sua competência ao transportar com sucesso 127 caixas contendo artefatos históricos de Machu Picchu. Essa preciosa carga foi transportada em uma aeronave FedEx Express disponibilizada exclusivamente para esse fim, do aeroporto americano de Newark, Nova Jersey, até Lima, no Peru. Em Lima, os artefatos foram transferidos para uma base militar e, em seguida, levados de avião pelo governo local ao seu novo lar, um museu em Cusco, no Peru.  

         

As caixas continham delicadas ferramentas de pedra e frágeis fragmentos de cerâmica conservados por quase um século no Museu de História Natural de Peabody, da Universidade de Yale. Para alcançar o resultado previsto no acordo com o Governo peruano e com a nova parceria firmada com a Universidad Nacional de San Antonio Abad del Cusco, UNSAAC , a Universidade de Yale buscou a ajuda da FedEx para transportar, em segurança, esses itens insubstituíveis. A FedEx – que já ajudou museus, governos e indivíduos a transportarem cargas delicadas – doou fundos ao projeto e cedeu uma aeronave Airbus A300 para viabilizar essa entrega crítica.

 

“Somos gratos à FedEx por dispor da expertise logística necessária para fazer esse transporte histórico”, diz Derek Briggs, diretor do Museu de História Natural de Peabody, da Universidade de Yale. “Mal podemos esperar para trabalhar com nossos parceiros da UNSAAC na exibição e no estudo do material encontrado por Hiram Bingham durante suas escavações no sítio arqueológico de Machu Picchu, em 1912.”

 

Assim que os artefatos foram entregues pela Universidade de Yale no Aeroporto Internacional de Newark, a FedEx Express assumiu o controle das caixas, criando um plano de carregamento personalizado para o voo, a fim de garantir a segurança e o monitoramento  desse envio inestimável desde a decolagem do avião até sua aterrissagem, nove horas depois. Um gerente de fretamento viajou até o Peru, ao lado da tripulação, para ajudar o responsável pela carga e descarga das caixas e trabalhar com as autoridades aeroportuárias e agentes alfandegários do Aeroporto Internacional Jorge Chávez, em Lima, no Peru.

 

A missão exigiu que a equipe da FedEx Express se comunicasse antecipadamente com os agentes alfandegários em Lima para ajudar no desembaraço do voo e de seu conteúdo – oferecendo uma solução realmente única para facilitar a entrega.

 

"Nós nos especializamos em usar nossa ampla rede para ajudar nossos clientes de fretamento a definirem sua própria rota”, diz Dave Lange, diretor executivo da FedEx Express Charters. “Cada envio crítico tem exigências únicas em termos de manuseio e desembaraço alfandegário.”

 

Uma vez em Lima, o Governo peruano acompanhou os artefatos até seu destino final, o Centro Internacional de Estudos sobre Machu Picchu e a Cultura Inca das Universidades UNSAAC e Yale. Inaugurado em outubro de 2011, o museu está a poucos minutos de trem do sítio arqueológico de Machu Picchu.

 

“A FedEx tem um longo histórico no transporte de cargas delicadas e é um privilégio ser a transportadora de confiança para mover estes  inestimáveis fragmentos da História”, diz Juan N. Cento, presidente regional da divisão América Latina e Caribe da FedEx Express. “A FedEx está orgulhosa por  seu envolvimento neste tema que não só definiu a História como também uniu culturas.”

 

Entregando História

O transporte dos inestimáveis artefatos de Machu Picchu é o mais recente caso de sucesso da FedEx, cujo histórico também inclui:

 

  • Como parte de um tour mundial, a FedEx Express transportou a cápsula “Fênix” usada no resgate histórico dos 33 mineiros chilenos que ficaram soterrados por quase 10 semanas em 2010.

 

  • A FedEx Express também transportou 90 toneladas de materiais da mostra “Titanic: The Artifact Exhibition”, entre os quais estava um pedaço do casco do navio, de quase 1,4 tonelada, levando-os de Milão, na Itália, até Atlanta, na Geórgia.  

 

  • A FedEx Express levou artefatos e todo o serviço de prata de lei criado para o USS Indiana, que ficou no mar por 76 anos, até o USS Indianapolis Museum no Indiana War Memorial, em Indianápolis; levou também o Sino da Liberdade, de quase 1,4 tonelada, até a Fundação dos Veteranos de Guerras Estrangeiras.

You may also like: